20.06.2016 - Nota de Repúdio Fiscalização em Bares e Restaurantes de Goiânia
ABRASEL GOIÁS, associação sem fins lucrativos, que representa mais 16 mil empresas do segmento de alimentação fora do lar em todo Estado de Goiás e gera cerca 100 mil empregos diretos.  Declara que sempre apoiou as ações  de fiscalização, seja de qual órgão for, pois defendemos e sempre lutaremos pela moralização do nosso segmento.
Todavia, na data de ontem (17/06/2016) por volta das 23horas uma ação realizada em conjunto do PROCON, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Militar gerou o questionamento de empresários do segmento de bares e restaurantes de Goiânia sobre a maneira que a operação foi conduzida. A operação que visava verificar a fiscalização da segurança destes estabelecimentos, além de aprender armas, drogas, captura de foragidos e coibir ações criminosas.  Com um forte aparato policial, adentrou nos estabelecimentos a " serem fiscalizadas" e provocou tanto nos frequentadores como nos empresários um forte constrangimento, devido a marginalização dos frequentadores de bares e restaurantes. A Abrasel já se posicionou diversas vezes contra essas operações que na verdade parecem um verdadeiro circo midiático. O que  descomprometimento de um festa privada não reflete a conduta dos de bares e restaurantes de Goiânia e não devemos ser responsabilizados por isso. Todos os empresários do segmento prezam pela segurança e bem estar de seus frequentadores, visto que 90% dos estabelecimentos contam com esquema de segurança.
Reforçamos  que sempre apoiaremos as ações de fiscalização que são benéficas para a sociedade, mas frisamos não entenderemos a necessidade destas ações acontecerem durante a noite, quando as casas estão sempre cheias e nunca pela manhã, pois os alvarás exigidos durante as fiscalizações nunca saem de nossos estabelecimentos. Dentre os estabelecimentos fiscalizados na noite de ontem nenhum cidadão foi revistado, somente pressionados os empresários que passaram por uma situação vexatória perante aos olhos de seus frequentadores e do veículos de comunicação.
Infelizmente a criminalidade está generalizada seja em bares no Marista como os bares da periferia, mas não entendemos também porque as fiscalizações acontecem também somente nesta região. Visto, a diversidade da Capital essa ação deveria ser aplicada em toda a cidade, com foco nos pontos de maior criminalidade  e não visando somente os maiores bares da Capital.
Os bares são espaços democráticos , não podemos proibir o direito de ir e vir dos cidadãos em nossos estabelecimentos. O que é de nossa responsabilidade é de assegurar a segurança de nossos frequentadores dentro de nossas casas. Assim a responsabilidade de quem comente um crime e está solto não é nossa, e sim do Estado que tem o dever de cuidar da nossa segurança. Todavia, sempre nos responsabilizam pela criminalidade da cidade, sendo que de 90 a 100% dos frequentadores são pessoas de bem que desejam um momento de confraternização.
Portanto, a violência desproporcional e os procedimentos humilhantes aos quais foram e que veem sendo submetidos donos de bares e restaurantes deste Estado é que REPUDIAMOS toda e qualquer ação ARBITRÁRIA, DESARRAZOADA e DESPROPORCIONAL e nos colocamos à disposição das autoridades deste Estado para debater esses procedimentos humilhantes praticados em nossos estabelecimentos.
Fernando de Oliveira Jorge
Presidente ABRASEL-GO