08/01/2013 - Documentário liga obesidade de negros americanos ao vício em 'soul food'

Para o cineasta Byron Hurt, o vício em "soul food", a culinária gordurosa típica dos sul dos EUA, está matando os negros americanos.

Hurt, 42, chegou a essa conclusão após entrevistar historiadores, cozinheiros, médicos, ativistas e consumidores para o documentário "Soul Food Junkies", que será exibido na TV americana em janeiro (assista ao trailer em www.pbs.org/independentlens/soul-food-junkies/film.html).

Reprodução
Americano mostra churrasco de costela em estádio de futebol no sul dos EUA, no filme
Americano mostra churrasco de costela em estádio de futebol no sul dos EUA, no filme "Soul Food Junkies", que vai passar na TV americana no dia 14 de janeiro

O filme mostra como a identidade cultural dos negros está ligada aos alimentos calóricos, como frango frito e churrasco de costela.

O cineasta lembra que, séculos atrás, a dieta calórica permitia aos escravos aguentar as horas de trabalho braçal. Nos anos 60, o movimento de direitos civis cunhou o termo "soul food".
"Há uma ligação emocional e um orgulho no que é visto como a comida que permitiu a sobrevivência em tempos difíceis", diz o diretor.

O problema é que esse regime está prejudicando a saúde dos negros americanos, que têm taxas maiores de obesidade e diabetes do que os brancos no país e têm o dobro do risco de morrer de derrame até os 75 anos do que outros grupos populacionais, segundo os CDCs (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA).

A pobreza e a ausência de supermercados com boa oferta de alimentos também contribui para o problema, diz Hurt. "Comunidades de negros pobres têm menos acesso a verduras e mais oferta de fast food e comida calórica."

 

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br

Data:04/01/2012