14/01/2013 França criará uma rede com cidades da gastronomia

 

Pratos representado as três cidades que formarão a rede de Cidades da Gastronomia
Pratos representado as três cidades que formarão a rede de Cidades da Gastronomia
RFI/Image

A culinária francesa a partir desta sexta não será celebrada somente em livros ou em música. A Missão Francesa do Patrimônio e das Culturas Alimentares (MFPCA), anunciou a escolha de três cidades para a criação de uma rede de Cidades da Gastronomia. Rungis, no subúrbio de Paris, que abriga o maior mercado de alimentos do mundo, Dijon, conhecida pelo boeuf bourguignon, o vinho e a mostarda, e Tours, entrada principal para os castelos da Loire, são as três contempladas.

O projeto das Cidades da Gastronomia consiste em criar centros de valorização da gastronomia francesa, declarada em 2010, pela Unesco, como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. As cidades da Gastronomia investirão na construção de estruturas para difundir essa parte da vasta cultura francesa e os prazeres da mesa. A idéia é estimular ainda mais o aprendizado dos franceses sobre o tema e atrair os turistas estrangeiros para visitar regiões já conhecidas mundialmente por causa da arte da cozinha.

Outras duas cidades de peso concorriam ao cobiçado título:Lyon, famosa pela culinária, com mais de 60 chefs de cozinha premiados e Beaune, conhecida pela rota dos vinhos da Borgonha. Ouça nesta reportagem Pierre Sanner e Jean Germain. O diretor da Missão Francesa do Patrimônio, Pierre Sanner, responsável por apontar as cidades com os melhores projetos, explica quais os critérios utilizados para a escolha das três cidades. Segundo o prefeito Jean Germain, a nomeação da cidade de Tours para o projeto será importante para descentralizar a influência da culinária francesa.

A inauguração da rede de Cidades da Gastronomia está prevista para o primeiro semestre de 2016.

 

Fonte: www.portugues.rfi.fr