07/02/2013 Boates do Rio poderão ter selo que vai indicar qualidade da segurança

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira com empresários representantes da noite carioca, o prefeito Eduardo Paes e o secretário de Estado e Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, foi firmado um acordo para garantir a segurança das casas noturnas do Rio. Ficou decidido que o Sindicato de Hotéis, Bares e Resturantes do Rio (SindRio) estudará a criação de um selo atestando a qualidade da segurança das casas noturnas, restaurantes e bares da cidade.

— Ainda não está acertado se será um selo ou outra forma de certificação. Vamos contratar uma empresa idônea, como Associação Brasileira de Normas Técnicas, ou a Coppe-UFRJ para isto. O importante é que o consumidor contará com mais este certificado para atestar a segurança do estabelecimento — disse José Darcílio Junqueira, superintentente do SindRio.

As autoridades anunciaram ainda que as boates e outras casas noturnas do Rio interditadas na última semana pela fiscalização municipal e pelos bombeiros, depois da tragédia de Santa Maria, poderão pedir uma nova fiscalização e serão reabertas imediatamente se apresentarem quatro itens considerados básicos de segurança: sinalizadores de saídas de emergência, extintores, cartazes com informações sobre a capacidade de público fixados em local visível e saídas desbloqueadas. A prefeitura e os bombeiros decidiram deixar para uma segunda etapa a regularização dos alvarás de funcionamento dessas casas.

— A prioridade da prefeitura e do Corpo de Bombeiros é com a segurança. Não vamos abrir mão disso. Todos os estabelecimentos precisam obedecer às exigências dos bombeiros. Na maioria das vezes, são ajustes simples a serem feitos. Por outro lado, não queremos prejudicar o lazer, o turismo nem a economia da cidade. Por isso, chamamos o setor para conversar — explicou o prefeito Eduardo Paes. Related content

O compromisso firmado pelo poder público com os empresários foi diminuir a burocracia a fim de agilizar a retirada da documentação necessária em caso de realização de obras físicas feitas para se adequar às exigências dos bombeiros. A prefeitura do Rio publica nesta quarta-feira decreto estabelecendo prazo de 48 horas para análise documental e missão de parecer em caso de estabelecimentos que foram fechados e fizeram as modificações necessárias, inclusive quando forem imóveis tombados ou preservados pelo Patrimônio Municipal.

— O Corpo de Bombeiros está avaliando, em primeira instância, quesitos simples, porém essenciais para a segurança dos frequentadores. Os itens vão desde as desobstruções de saídas de escape à adequação da sinalização de emergência. Nosso objetivo é a parceria com os proprietários e com a prefeitura, entendendo que todos fazem parte de um processo contra a redução do risco. Tão logo as exigências apontadas pelos técnicos sejam cumpridas, a casa será liberada — esclareceu Simões.

Participaram das reuniões representantes do SindRio e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Polo Novo Rio Antigo, além dos secretários de Ordem Pública, Turismo, Urbanismo, Cultura e o Patrimônio Histórico.



Fonte: http://extra.globo.com/noticias/brasil/boates-do-rio-poderao-ter-selo-que-vai-indicar-qualidade-da-seguranca-7498168.html#ixzz2KEWZM3Lw

Data: 05/02/2013