13/03/2013 Anvisa propõe classificação para bares e restaurantes de cidades-sede da Copa

Com o objetivo de dar início à implantação do novo sistema em abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, quer estabelecer uma classificação para bares e restaurantes nas cidades que sediarão os jogos da Copa do Mundo.

São mais de 200 regras a serem cumpridas por estabelecimentos de todo o país para garantir a qualidade do alimento e evitar a “contaminação cruzada”. Conforme orienta o órgão, controlar a temperatura dos alimentos também é essencial (produtos quentes acima de 60 graus e produtos frios abaixo de 8 graus), para evitar a multiplicação de micro-organismos que colocam em risco a saúde do consumidor.

De acordo com o presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci Junior, a Anvisa vai concentrar a classificação nos 45 itens mais relevantes da RDC 216, resolução que dispõe sobre o regulamento técnico de boas práticas para o setor de alimentação e que, seguida à risca, poderá trazer benefícios aos estabelecimentos que participarem do projeto. “Além da tranquilidade de estarem realizando os procedimentos que buscam assegurar aos clientes segurança no consumo dos alimentos, eles terão o benefício de dar visibilidade ao consumidor deste importante compromisso com a saúde dele”, comenta.

No Distrito Federal, a Vigilância Sanitária já quer começar a classificação, com a introdução de um selo de qualidade, que será exposto nos estabelecimentos em local visível, e a determinação de 45 regras para o setor.

Depois de classificar cerca de 200 restaurantes para a Copa das Confederações em junho, o projeto quer expandir para bares e restaurantes de todas as cidades-sede da Copa do Mundo, como acontece em diferentes locais. “Os países que já adotam percebem que houve mudança, uma melhora na qualidade higiênico-sanitário nos estabelecimentos e, com isso, tiveram a diminuição nos surtos”, explica a gerente-geral de alimentos da Anvisa, Denise Resende.

Cronograma de ações da Anvisa

Fev/2013: Pactuação das diretrizes nacionais

Março/2013: Envio proposta de ação

Abril/2013: Sensibilização e Capacitação dos fiscais / Seminário do Setor Regulado

Maio a Jun/2013: Auto-avaliação

Jul a Nov/2013: 1º Ciclo de inspeção

Dez/2012: Divulgação do perfil da categorização

Jan a Abril/2014: 2º Ciclo de inspeção

Maio de 2014: Divulgação da categorização dos serviços