15/03/2013 Preços baixos incentivam brasileiros a comprar pela internet

Para 75% dos consumidores, a busca por melhores preços é o principal motivo para realizar a compra online, seguido pela facilidade em comparar preços e ofertas (59%) e comodidade de receber o produto em casa (46%).

Os dados são da pesquisa sobre os hábitos de compras dos e-consumidores, realizada pela PwC. Foram 11 mil entrevistados em 11 países.No Brasil, cerca de um terço das pessoas compram mensalmente pela internet e 23% não adquirem produtos pela web ou o fazem muito raramente. “Os consumidores ainda estão aprendendo que ambiente online é possibilidade real de fazer compras e negócios e, dependendo da categoria de produtos, o uso é mais intensivo ou menos”, observa o sênior manager da PwC Brasil e especialista em varejo, Jorge Inafuco.

Em relação às categorias de produtos, o estudo da PwC evidencia que o perfil de compra varia. Assim, ao comprar eletrônicos, computadores, eletrodomésticos, brinquedos e produtos de beleza, os usuários fazem as pesquisas de preços e modelos pela web, mas preferem efetuar a compra na loja física.

Já quando a intenção é adquirir livros, música e vídeo, tanto a pesquisa quanto a compra são feitas online e a entrega do produto é em casa. O computador pessoal é o principal meio escolhido para o e-commerce. Dos usuários entrevistados na pesquisa, mais de 70% afirmam não fazer transações por meio de smartphones, tablets ou sites de mídia social.

Inafuco comenta ainda que, tanto o varejo baseado exclusivamente em lojas físicas quanto nas compras virtuais, já percebeu que os consumidores comportam-se cada vez mais como compradores multicanais. Por isso, assim como as lojas físicas rapidamente se lançaram no e-commerce, o varejo online está trilhando o caminho inverso para oferecer a experiência “in loco” aos seus consumidores. “Isso é muito importante, porque hoje em dia as empresas não sabem mais por qual desses canais o consumidor vai querer pesquisar, comprar e dar os seus feedbacks. Então, é preciso estar presente em todos”, finaliza.

Fonte: Jornal do Comércio