20/03/13 Os pequenos estão abusando do sal

As crianças brasileiras consomem duas vezes a quantidade do tempero. Confira dicas para alimentá-los

Vários estudos mostram que os hábitos alimentares dos brasileiros estão longe de ser perfeitos, mas um aspecto do nosso cardápio tem preocupado pediatras. Uma recente pesquisa feita pelo departamento de nutrição da USP (Universidade de São Paulo) e publicada na revista norte-americana “Nutrition” constatou que 90% das crianças, entre 2 e 6 anos, consomem sódio em excesso – a pesquisa foi feita com 3.058 pequenos em creches e escolas espalhados pelo Brasil.

E o problema já mostra consequências graves na saúde dos pequenos. “Hoje, 10% das crianças acima de 7 anos já têm pressão alta, o que  é grave e pode evoluir para problemas renais e cardíacos”, explica o pediatra Jorge Huberman, do hospital Albert Einstein.

Alimentos que fazem sucesso entre a garotada, como refrigerantes, fast food, salgadinhos, salsicha, nuggets e hambúrguer, contêm alta concentração de sódio, especialmente os que vêm congelados. Para Marianne Rocha, nutricionista do Hospital Santa Virgínia, diante deste cenário, o ideal é usar o bom senso. “O melhor é oferecer uma alimentação o mais natural e saudável possível. Não deixe que seu filho coma salgadinho,  biscoito recheado e refrigerante no lanche da escola. Substitua por um lanche com queijo branco e peito de peru, bolo caseiro e frutas, por exemplo”, aconselha.

Huberman é ainda mais incisivo. “Algumas comidas congeladas têm mais de 100% das necessidades diárias de sódio para um adulto. Esses alimentos nunca devem ser consumidos  pelas crianças, não importa o quanto elas gostem deles. Prefira opções mais saudáveis, elas vão entender”, alerta.

Confira dicas para alimentar as crianças

1 - Hábitos saudáveis já no café da manhã

Troque a manteiga com sal por requeijão light, o presunto gordo pelo peito de peru e evite cereais com muito açúcar ou sódio.

2 - Confira as opções na cantina da escola

Se eles não oferecem opções saudáveis, prepare o lanche da criança em casa. E prefira sucos naturais aos de caixinha.

3 - Fique de olho nas embalagens

O valor nutricional vem discriminado nas embalagens. As quantidades diárias indicadas, geralmente, são voltadas para adultos. Crianças até 8 anos devem consumir a metade desses valores.

4 - Pode ceder, mas não muito

Se a criança insistir, marque um dia da semana para os excessos, como refrigerante e salgadinho. Mas respeite os limites diários de sódio.

5 - As trocas podem ser ruins

Não ofereça recompensas. Também não premie a criança com guloseimas. Isso faz com que ela atribua um valor afetivo a comidas que são ruins e a estimula a rejeitar as  saudáveis.

6 - Evite castigos severos

Não ameace a criança. Isso aumenta sua repulsa ao alimento. Explique que a comida saudável vai ajudá-la a crescer forte e diga que o dia de comer guloseimas é outro. Se ela resistir, espere que ela fique com mais fome.

Ajuda do Ministério

O Ministério da Saúde assinou um acordo que prevê a redução gradual de sódio em 16 categorias de alimentos até 2014, inclusive batata chips e bolacha recheada. Mas mesmo com a redução, alguns alimentos ainda têm sódio em excesso.

5 unidades de nuggets contém 742 mg de sódio, 60% das necessidades diárias da criança

3 bolachas recheadas contém  100 mg de sódio, além de um alto teor de gorduras e  açúcar

50 gramas de batata ondulada (um pacote pequeno) tem 308 mg de sódio, além de gorduras

Juntas, duas salsichas têm 1,2 g de sódio. É 100% do sódio que a criança precisa em um único dia.

 

Fonte: http://www.diariosp.com.br/noticia/

Em 20/03/2013