05/04/2013 Pesquisa afirma que executivos brasileiros já se alimentam melhor

A alimentação dos executivos brasileiros está mais saudável se compararmos os anos de 2011 e 2012, segundo levantamento feito pela operadora de saúde Omint com mais de 4 mil gestores com salários entre R$ 7 mil e R$ 45 mil.

De acordo com a pesquisa, esses profissionais estão comendo menos alimentos gordurosos, o que é positivo, segundo Caio Soares, diretor médico da Omint e responsável pela pesquisa. Soares afirma que a má alimentação, aliada ao sedentarismo e ao estresse, é o principal fator de doenças como diabetes e hipertensão, além de colesterol alto.

Em 2011, por exemplo, 52% dos entrevistados - ou 2.147 pessoas - afirmaram comer "médio" ou muita carne vermelha. Já em 2012, 37% - ou 1.499 pessoas - deram essa mesma resposta.

O consumo elevado de leite integral e queijos amarelos, ambos ricos em gorduras, também caiu. Em 2011, era realidade para 37% dos entrevistados, contra 23% em 2012.

Alimentos à base de  by InstantSavings">gordura, como bacon e manteiga, também estão sendo menos consumidos pelos executivos. Em 2011, 24% afirmaram consumir 'médio' ou muito esse tipo de produto, contra 15% em 2012.

Alimentos ricos em açúcar também estão mais raros no cardápio dos gestores. Em 2011, metade dos pesquisados afirmaram consumir "médio" ou muito bolos, doces, chocolates e refrigerantes. Em 2012, esse número caiu para 36%.

Arte Gordura (Foto: Arte/G1)