18/04/13 Anvisa define novos limites de iodo no sal de cozinha

Segundo a resolução aprovada em 16/4 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o teor de iodo presente no sal vendido em supermercados deverá obedecer a um limite entre 15 a 45 miligramas para cada quilo de sal.

A regra entra em vigor 90 dias após a publicação da medida no Diário Oficial da União, o que deve acontecer nos próximos dias. A Anvisa acredita que o mercado conseguirá se adaptar facilmente. Segundo análise da agência, 90% das marcas de sal já seguem o novo intervalo, apesar de a regra atual delimitar quantidades de iodo entre 20 e 60 miligramas. As indústrias alimentícias também deverão ficar atentas ao sal utilizado na fabricação de seus produtos.

A decisão foi tomada em conjunto com o Ministério da Saúde, e está baseada em estudos que identificaram níveis elevados de iodo na urina do brasileiro. O consumo excessivo do nutriente pode causar disfunções na glândula tireoide, que produz hormônios reguladores do metabolismo. A falta dele, entretanto, pode levar a má formação de fetos em casos de gravidez, além de problemas mentais.

O novo limite ainda não atinge o que é recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Segundo a OMS, o ideal é que haja de 10 a 40 miligramas de iodo por quilo de sal, em países cujos habitantes consomem 10 gramas de sal por dia. No Brasil, o consumo médio de sal é de 12 gramas diários por pessoa.

Fonte: Folha de S. Paulo

Em: 18/04/13