03/06/2013-Tradutores são demandados por bares e restaurantes

Tradutores são demandados por bares e restaurantes

Além da tradução em si, o uso de aplicativos também está sendo explorado para facilitar a comunicação.Ainda que a presença de turistas estrangeiros na Copa das Confederações não seja tão massiva quanto se imaginou nos últimos anos, os bares e restaurantes de Fortaleza estão correndo atrás para disponibilizar os seus cardápios em outros idiomas, até mesmo para já estarem preparados em 2014. E quem ganha com isso? Os tradutores!
A apresentação de cardápios em vários idiomas é um dos serviços procurados. FOTO: Waleska Santiago

De olho nessa oportunidade, a Ally International, empresa especializada em cursos de inglês para profissionais de atendimento em geral (garçons, vendedores, taxistas, segurança pública, etc), começou, no início deste ano, a oferecer o serviço de tradução de cardápios, e não só em inglês, mas também em espanhol, francês, italiano e alemão. "A ideia surgiu nos cursos para garçons, quando percebemos a necessidade de treiná-los com cardápios em inglês, nas atividades internas", lembra Germeni Santos, diretora geral da empresa local.

Para ela, a tradução do menu é uma ótima oportunidade para bares e restaurantes com baixo orçamento. "Ás vezes o proprietário não tem R$ 8 mil para treinar 20 funcionários em um curso de inglês, mas tem R$ 500 para pagar por este serviço novo", compara. A respeito dos valores, Germeni informa que a Ally cobra R$ 1 por palavra (tradução para os cinco idiomas), o que dá, em média, R$ 100 para um menu com 20 itens. De acordo com a diretora geral da empresa, até agora, 50 estabelecimentos já solicitaram o serviço. Os que são associados à Abrasel-CE (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará) têm direito a 15% de descontos no preço total.

Preço e prazo

Para conseguir traduzir as palavras nos outros quatro idiomas, Germeni revela que foi necessário realizar uma parceria com agências especializadas de outros países. "Nós conseguimos um preço muito baixo com essas empresas, por isso estamos oferecendo este produto, traduzido em cinco idiomas, pelo mesmo valor caso fosse somente o inglês, que é o valor cobrado no mercado de tradução", explica.

Vale esclarecer que a Ally não entrega, para o cliente, o cardápio impresso, mas somente o arquivo com as palavras traduzidas. A impressão fica por conta do estabelecimento. O prazo para entrega é de aproximadamente uma semana.

Aplicativo

Uma alternativa mais moderna, porém mais restritiva, é a adoção de aplicativos para smartphones que realizam a tradução de cardápios de estabelecimentos que sejam cadastrados na ferramenta. Natural de São Paulo, mas residente em Fortaleza, o empresário Rodrigo Chagas gerencia o aplicativo Urbbox, que se define como "o amigo do garçom e do cliente".

"De repente você tá em um restaurante onde não tem ninguém que fala nem inglês, então a alternativa, com o Urbbox, é você fazer o pedido na sua língua materna, através do smartphone, fotografando com o QR Code, e chega na cozinha o pedido em português. Para ter o serviço, nós temos três planos: o bronze, o prata e o ouro. O primeiro é apenas português, o segundo é português e mais uma língua, e o ouro é português e mais três línguas", explica.
Treinamento

"A ideia surgiu nos cursos para garçons, quando percebemos a necessidade de treiná-los com cardápios em inglês"
Germeni Santos, diretora geral da Ally International
Decepção na hora de alugar imóveis

Desde que Fortaleza foi anunciada como uma das seis sub-sedes da Copa das Confederações, criou-se no imaginário popular dos fortalezenses uma crença de que haveria uma enorme procura para locação de imóveis localizados nas proximidades da Arena Castelão. A cerca de duas semanas da primeira partida na Capital, entre Brasil e México, as expectativas parecem ter ido por água abaixo, já que, muitos dos que anunciaram suas casas e apartamentos na internet permanecem aguardando contatos de fora do País.

Cavalcante: "o torcedor de fora não vai alugar uma casa durante 20 ou 30 dias, numa mesma cidade".Para atrair a atenção dos torcedores espanhóis, que virão à Capital para assistir ao jogo entre Espanha e Nigéria, o morador do bairro Castelão Gerardo Uchôa fez questão de colocar em seu anúncio que "habla español", mas segundo o próprio admitiu na última sexta-feira, nenhuma ligação foi feita. "Acredito que foi porque deixei para divulgar de última hora. Só coloquei na internet no dia 1º de maio. Mas também acho que a Copa das Confederações não tem tanto apelo quanto a Copa do Mundo", justifica. Pelo período de 20 dias, a casa toda de Gerardo está disponível pelo valor de R$ 50 mil.

Para o tesoureiro do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), Armando Cavalcante, as tentativas adotadas não são das mais sensatas. "O torcedor de fora não vai alugar uma casa durante 20 ou 30 dias, numa mesma cidade, apenas para assistir a no máximo três jogos, ou menos do que isso, porque, na verdade, só o que interessa a ele é o jogo da seleção do seu país", argumenta.

Melhor opção

"Além disso, vale muito mais a pena, para o turista, alugar um apartamento na Av. Beira-Mar e pagar em torno de R$ 5 mil, pois, quando a pessoa de fora quiser passear pelos pontos turísticos de Fortaleza, ela vai estar bem melhor localizada, enquanto no Castelão, ele só vai estar próximo do estádio, para onde ele só vai precisar ir em dia de jogo, eventualmente", detalha o experiente corretor. (AIR)

Fonte:Diário do Nordeste
Data;01/06/2013