10/07/2013-Prefeito Paulo Garcia recebe Abrasel para ouvir demandas do setor de alimentação fora do lar

 

Reunião acontece amanhã (quinta, 11/7/13), a partir das 10 horas, no Paço Municipal. Entidade reuniu empresários para estabelecer prioridades e cobrar compromisso da administração municipal


A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel Goiás) foi criada para defender os interesses do setor de alimentação fora do lar e seu desenvolvimento sustentável, buscando diálogo constante com o poder público.  Atendendo solicitação da entidade, o prefeito Paulo Garcia e seu secretariado recebem amanhã (quinta-feira, 11/7), às 10 horas, no Paço Municipal, representantes da entidade e empresários, que pedem o compromisso do poder público com as pautas apresentadas (confira abaixo).

Alvo de discriminação e injustiças, o segmento sofre com legislações e políticas que têm incidido negativamente no seu crescimento.  Em reunião com os empresários, realizada na sede da Abrasel nesta quarta-feira (10/7), foram levantadas todas as questões relacionadas à gestão municipal. “A atuação da fiscalização municipal coloca os bares e restaurantes como vilões, existem 6 mil estabelecimentos informais em Goiânia, mas o foco são os bares e restaurantes que estão buscando regularização, mas a burocracia impede”, destaca o presidente do Convetion&Visitors Bureau e conselheiro da Abrasel, Newton Pereira.

O presidente da Abrasel Goiás, Rafael Campos Carvalho reforça que a entidade defende a regularidade e a formalidade das empresas do setor de alimentação fora do lar, bem como o compromisso do poder público em contribuir para que as pendências sejam sanadas. “Queremos que seja criado um Comitê de Desenvolvimento do Setor de Alimentação Fora do Lar, com envolvimento da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio (Semic), Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), Secretaria Municipal de Trânsito (SMT), Secretaria de Planejamento (Seplan), Vigilância Sanitária, Secretaria de Fiscalização (Sefis), entre outros órgãos, para que sejam estabelecidas as políticas públicas necessárias e as metas”.

A proprietária da Confraria Gamboa, um dos estabelecimentos que foram interditados com a Operação Sossego (Amma), Andréia Sousa, reclama da falta de coerência do poder público. “Tenho documentos que comprovam a nossa tentativa de estar em conformidade com a legislação. Estamos com um pedido de alvará aguardando mais de 300 dias na Prefeitura de Goiânia, e eles chegam e mandam fechar, não se importando com os compromissos que temos com funcionários e nossos clientes”, completa.

O representante da Lyquid, Wesley, acabou sendo preso na ação deflagrada pela Amma. “Chegaram com mais de 15 policiais militares, fecharam as saídas das ruas, recolhendo nossos equipamentos, nos tratando como marginais”, destacou, questionando ainda a falta de segurança pública e o quantitativo de policiais que foram destacadas para operação.  “É inadmissível que os cidadãos sejam tratados como criminosos e oprimidos pelo poder público”, completa o presidente da Abrasel.

Tom, do Deck Lounge, também se viu indignado com a conduta da equipe de fiscalização: “Temos tudo registrado nas imagens das câmeras de segurança”. José Lourenço, do Caldos 24 Horas, lembra algumas solicitações exageradas, praticamente impossíveis de serem cumpridas. “Pediram-me um estudo de impacto em um raio de quatro quarteirões. O shopping pode cobrar estacionamento, mas o setor não”.

Newton Pereira destaca que Goiânia conta com o maior mercado informal do Brasil e maior feira livre aberta da America Latina. “Não entendemos porque o informal pode trabalhar, e o irregular não, bem como o foco exacerbado no setor de bares e restaurantes. Da forma como ocorre, parece até esquecer que vários prédios da administração, igrejas, escolas, etc. não possuem alvarás. Nenhuma licença em Goiânia corre por menos de 120 dias, queremos um pacto para regularizar e que a Prefeitura se comprometa a fazer a sua parte”.


Confira os assuntos que os empresários definiram como prioridade:

1)      Criação do Comitê de Desenvolvimento do Setor de Alimentação Fora do Lar, com participação de todas as pastas relacionadas;

2)      Incentivo à formalização das empresas;

3)      Abertura imediata das casas que estão fechadas em função de falta de documentação emitida pela Prefeitura de Goiânia;

4)      Prazo de 120 dias para os estabelecimentos se regularizarem;

5)      Combate aos flanelinhas e mercado informal;

6)      Iluminação, poda de árvore, etc. nas imediações dos estabelecimentos, com vistas a garantir a segurança pública;

7)      Lançamento do edital que abre novas concessões para o serviço de táxi;

8)      Conclusão e implantação do projeto de reordena o tráfego no Setor Marista;

9)      Ampliação de vagas de estacionamento;

10)  Agilização no processo de liberação de alvarás;

11)  Revisão do Código de Posturas quanto aos limites de volume de som permitido (decibeis);

12)  Revisar do Plano Diretor, quanto ao uso do solo;

13)  Melhor orientação aos fiscais, no sentido de evitar constrangimentos, abuso de autoridade, etc.

14)  Direcionar a fiscalização para horários quando os estabelecimentos estiverem fechados.

15) Conclusão e implantação do projeto que reordena o tráfego no Setor Marista;


A entidade também busca agenda com o Governo Estadual para destacar as demandas, bem como instituir também junto ao Estado Comitê de Desenvolvimento do Setor de Alimentação Fora do Lar, de forma a promover a sustentabilidade dos bares, restaurantes e seus similares. “Somos reconhecidos pela qualidade dos nossos estabelecimentos e hospitalidade. São mais de 11 mil bares, restaurantes e similares somente na grande Goiânia, gerando mais de 100 mil empregos diretos. Fazemos parte do turismo, uma indústria limpa, que deve ser incentivada para melhorar a qualidade de vida das nossas cidades”, conclui o presidente da Abrasel Goiás.


Serviço:

Prefeito Paulo Garcia recebe Abrasel para ouvir demandas do setor de alimentação fora do lar

Data: 11/07(quinta-feira)

 

Horário: 10 horas

Atendimento à Imprensa: a partir das 11h30


Local: Paço Municipal  Av. Cerrado, n° 999 – Park Lozandes, - Goiânia – GO


Relacionamento com a Mídia: Janaina Gomes (62) 8522-2792