15/08/2013 - Quentinhas na Rodoviária

 



 

O segundo dia de eventos do 25° Congresso Abrasel - Associação Brasileira de Bares e Restaurantes - teve como assunto principal a preparação para a manifestação de hoje, na Rodoviária do Plano Piloto. Donos de bares e restaurantes do Distrito Federal, incluindo nomes de peso da gastronomia da capital, entregarão marmitas no terminal e farão, em seguida, panelaço até o Congresso Nacional. A principal reivindicação é sobre a desoneração da folha de pagamentos (veja quadro).

Segundo o vice-presidente da Abrasel e proprietário do restaurante Oliver, Rodrigo Freire, a categoria briga há anos por uma política específica e positiva para o setor de alimentação fora de casa, e agora que o governo começou a aprovar a desoneração para alguns setores, como o hoteleiro, chegou a hora de se mobilizar. "Com relação à previdência, por exemplo, pagamos mais aos funcionários do que pagam as grandes indústrias", reclamou.

Freire afirmou que existem aproximadamente 2 mil leis sobre restaurantes e bares tramitando no Congresso Nacional e na Câmara Legislativa do Distrito Federal, mas nenhuma beneficia, de fato, o setor. "São leis de todos os gêneros, que mais prejudicam do que ajudam. No geral, leis que oneram a empresa, que é obrigada a repassar para o cliente", ponderou o empresário. Entre as ações do 25º Congresso Abrasel está o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Setor da Alimentação Fora do Lar, Bares e Restaurantes, que deve atuar na sugestão de propostas e iniciativas que beneficiem o segmento. Na primeira fase de trabalhos, o deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) encabeça a frente.

Passeata

A manifestação de hoje está prevista para começar às 12h, com a entrega de cerca de mil quentinhas. O grupo sairá em passeata até o Ministério do Trabalho, às 15h, seguindo para o Congresso Nacional. A proprietária do Universal Dinner, Mara Alcamim, conta que precisou fechar três dos quatro estabelecimentos comerciais que tinha por conta das despesas. Ao todo, 280 funcionários foram dispensados. "Precisamos nos unir para conseguir algo a nosso favor. Isso não é pedir muito", observou. O presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares (Sindhobar), Clayton Machado, afirmou que a sinalização do empresariado foi positiva e que hoje será um evento marcante. "Esse é o grande momento. Teremos o respaldo da Secretaria de Segurança e queremos fazer um movimento positivo", declarou Machado.

Reivindicações

1 - Regularização dos 10% destinados aos garçons. Atualmente, o funcionário recebe, mas é o patrão que paga imposto sobre a importância;

2 - Fim do imposto cobrado sobre FGTS;

3 - Transporte coletivo à noite,
já que os ônibus costumam parar de circular antes de muitos profissionais, como garçom
e cozinheiros, encerrarem o expediente;

4 - Mais segurança.

Fonte: Brasília em Tempo Real