26/08/2013 - Mais competitividade para a alimentação fora do lar

Mais competitividade para a alimentação fora do lar


Brasília, DF - Os desafios do setor de bares e restaurantes foram debatidos durante a abertura do 25º Congresso da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), nesta terça-feira (13). Temas controversos como a flexibilização das leis trabalhistas, a lei seca e a taxa de serviços foram analisados com o objetivo de aumentar a competitividade do setor.

Para discutir os assuntos de interesse do segmento no Congresso Nacional, foi criada oficialmente a Frente Parlamentar de Bares e Restaurantes. "A construção de um Brasil melhor se dará por meio do diálogo com os nossos representantes", comentou o presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci.

O ministro do Turismo, Gastão Vieira, ressaltou a importância da alimentação fora do lar para o turismo. "Ela corresponde a 20% dos gastos dos turistas no Brasil. Está na linha de frente da recepção de viajantes e tem a difícil tarefa de causar a boa primeira impressão neles", comentou. O ministro completou afirmando que gostaria de anunciar a desoneração dos bares e restaurantes. "Infelizmente não posso, mas quero garantir que continuaremos empenhados”.

O setor de gastronomia é responsável pela maior parte dos quase três milhões de pessoas que o turismo emprega no Brasil. Ela é avaliada como boa ou muito boa por 97% dos turistas estrangeiros e por 89% dos brasileiros de acordo com um estudo do Ministério do Turismo. “Os nossos bares e restaurantes são a uma só vez embaixadores e guardiões desse patrimônio, razão pela qual merecem toda a consideração dos formuladores de políticas públicas de turismo no país”, disse o ministro.

Brasília, DF - Os desafios do setor de bares e restaurantes foram debatidos durante a abertura do 25º Congresso da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), nesta terça-feira (13). Temas controversos como a flexibilização das leis trabalhistas, a lei seca e a taxa de serviços foram analisados com o objetivo de aumentar a competitividade do setor.

Para discutir os assuntos de interesse do segmento no Congresso Nacional, foi criada oficialmente a Frente Parlamentar de Bares e Restaurantes. "A construção de um Brasil melhor se dará por meio do diálogo com os nossos representantes", comentou o presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci.

O ministro do Turismo, Gastão Vieira, ressaltou a importância da alimentação fora do lar para o turismo. "Ela corresponde a 20% dos gastos dos turistas no Brasil. Está na linha de frente da recepção de viajantes e tem a difícil tarefa de causar a boa primeira impressão neles", comentou. O ministro completou afirmando que gostaria de anunciar a desoneração dos bares e restaurantes. "Infelizmente não posso, mas quero garantir que continuaremos empenhados”.

O setor de gastronomia é responsável pela maior parte dos quase três milhões de pessoas que o turismo emprega no Brasil. Ela é avaliada como boa ou muito boa por 97% dos turistas estrangeiros e por 89% dos brasileiros de acordo com um estudo do Ministério do Turismo. “Os nossos bares e restaurantes são a uma só vez embaixadores e guardiões desse patrimônio, razão pela qual merecem toda a consideração dos formuladores de políticas públicas de turismo no país”, disse o ministro.