04/05/12 - Redes de alimentos crescem com a venda de itens naturais

 

A crescente procura da população brasileira, principalmente os executivos das classes A e B, por hábitos mais saudáveis faz com que empresas especializadas na comercialização de refeições e produtos naturais e orgânicos cresçam no País. A rede  Salad Creations, especializada na  comercialização de  saladas e que tem forte presença em shopping centers —25 lojas, das quais  apenas uma é própria—, agora aposta em uma nova operação: loja de rua. A primeira está na zona norte de São Paulo, em Santana. Cecília Gonçalves, gerente de Expansão da rede Salad Creations diz que a estratégia integra o processo de crescimento da marca. “Este ano a expectativa é aumentar a rede  30%, finalizando o ano com 32 unidades em operação e 40 comercializadas.” A intenção da marca é chegar as Regiões Nordeste e Sudeste ao longo do ano. A fórmula do sucesso está no cardápio, que permite diversas combinações de saladas. “Temos em nosso cardápio três tipos de folhas, 15 tipos de molhos e mais de 40 opções de ingredientes como queijos e carnes, que totalizam mais de 17 mil combinações diferentes. Isso sem esquecer as saladas prontas, os wraps, quiches, sopas, tostex e tortas salgadas”, diz a executiva. Com tíquete médio de R$ 25, a Salad tem por público-alvo homens e mulheres acima dos 25 anos, pertencentes às classes A e B. “Nosso público  são pessoas que se preocupam com a saúde e com o bem-estar, gostam de fazer esporte e exigem produtos de qualidade”, enfatiza a gerente de Expansão da rede.

 



Produtos naturais

 

É com o mote de ser mais saudável que a Mundo Verde também é sinônimo de sucesso na venda de produtos naturais, orgânicos, funcionais, diet, light, sem glúten, e sem lactose, além de diversos tipos de chás, suplementos para atletas, produtos fitoterápicos, cosméticos, livros, CDs de relaxamento e presentes artesanais e ambientalmente corretos.  Com cerca de 200 lojas em operação no Brasil e mais duas em Portugal, a rede tem planos de crescer em torno de 25 % ao longo deste ano, e para os dois próximos anos prevê algo em torno de 20%. A meta é até  2014, a Mundo Verde conseguir atingir  faturamento de R$ 350 milhões. “ Queremos ter um nível de faturamento maior”, explica Donato Ramos, diretor de Marketing da empresa.

 

Ainda segundo informações de Ramos, para a Mundo Verde conseguir esse faturamento, serão feitos investimentos na abertura de novas lojas. “Neste ano nossa previsão é ter de 45 a 50 novas lojas em operação”, diz, e completa: “A Região Sudeste tem bastante espaço para crescermos, assim como o centro-oeste é muito rico, mas nosso foco maior está em São Paulo e no interior”.

 

Para 2014, a empresa especializada em produtos saudáveis pretende ter 350 unidades no Brasil, e mais lojas na Itália e em Portugal.  O especialista em marketing,  questionado sobre a dificuldade de se venderem produtos mais saudáveis (por consequência, mais caros) ao consumidor, afirma que  no Brasil o preconceito para com esses itens já foi maior e que o brasileiro está mais preocupado com a saúde e não se importa de pagar um pouco mais por produtos de melhor qualidade. “Houve uma mudança de hábito do consumidor nos últimos anos. Não tivemos dificuldade na comercialização dos produtos que disponibilizamos nas lojas. Está cada vez mais fácil vender produtos saudáveis no Brasil.”

 

Com tíquete médio de R$ 27, a rede afirma ver maior destaque nas vendas das linhas de cereais, mas óleo de coco, suplementos alimentares, grãos, e chás também mostram bom rendimento nas gôndolas das lojas.

 

Dentre os que também vêm crescendo em vendas estão os alimentos funcionais, que auxiliam no emagrecimento, e os produtos e alimentos anti-idade, que retardam o envelhecimento. “A procura por esses produtos mais novos, como os anti-idade e os que auxiliam o emagrecimento, é tanta que também podem ser considerados nosso carro-chefe.”

 

Fonte: Flávia Milhassi - DCI