14/03/12 - Sanderson Farms tem prejuízo de US$ 8 mi

A Sanderson Farms, quarta maior produtora de frango dos Estados Unidos, anunciou hoje um prejuízo menor no primeiro trimestre fiscal, conforme a receita cresceu mais que o esperado, embora as despesas com ração animal tenham continuado em alta. No trimestre encerrado em 31 de janeiro, a empresa norte-americana perdeu US$ 8 milhões (US$ 0,36 por ação), bem menos que os US$ 33,6 milhões (US$ 1,52 por ação) vistos em igual intervalo do ano anterior.

Já o faturamento subiu 20% no período, para US$ 517,8 milhões. Analistas consultados pela Thompson Reuters previam lucro de US$ 0,18 por ação sobre receita de US$ 509 milhões. A Sanderson agora acumula prejuízos por cinco trimestres consecutivos. Embora a demanda no varejo tenha continuado estável, a companhia informou continuará sob pressão na área de food service (alimentação fora do lar) até que a situação do mercado de trabalho dos EUA melhore. "Nossos resultados para o primeiro trimestre fiscal de 2012 refletem melhora, mas condições ainda desafiadoras para a nossa indústria", disse Joe F. Sanderson Jr., presidente e executivo-chefe do grupo.

Segundo a empresa, as condições do mercado no primeiro trimestre melhoraram ante igual período do ano anterior e os negócios foram lucrativos em janeiro. O setor tem sido desafiado por crescentes despesas com ração animal, ofertas abundantes e preços fracos, apesar de um promissor mercado de exportação. A rival Pilgrim's Pride Corp. anunciou no começo de fevereiro o quarto prejuízo trimestral seguido, atribuindo-o aos custos da ração e aos baixos preços do frango. A Sanderson observou que os preços dos grãos recuaram das máximas registradas no último outono, mas os altos gastos com ração continuam afetando os resultados. A oferta milho está no patamar mais apertado em 15 anos e os preços permanecerão elevados até que o mercado receba algum indício da quantidade e da qualidade da safra de 2012/13, afirmou o executivo-chefe da empresa.

Ontem, os papéis da Sanderson terminaram cotados a US$ 49,47 por ação na Bolsa de Nova York. As ações atingiram o menor nível em dois anos em setembro, mas subiram quase 30% desde então. As informações são da Dow Jones.

 

Fonte: Agência Estado