1º/11/12 - Empresários podem ajudar a coibir onda de insegurança

Reunião com a presença de representantes da PM, Polícia Civil e empresários do setor de alimentação fora do lar é realizada na sede da Abrasel. Entidades orientaram os gestores sobre os procedimentos que devem ser adotados para prevenir e inibir a violência

Nos últimos dias, alguns dos principais espaços de lazer e diversão dos goianos -- os bares e restaurantes -- ganharam as pautas dos noticiários com o surgimento do que é considerada uma nova modalidade de crime na capital.  A Polícia Militar registrou pelo menos seis assaltos em estabelecimentos gastronômicos em Goiânia, alguns deles em locais com grande concentração de público e turistas.

A onda de violência nas noites goianas tem preocupado a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), entidade responsável por construir um ambiente favorável para empresários do setor de alimentação fora do lar, que nesta quinta-feira (1º/11), reuniu, em parceria com a PM, associados e demais empresários para repassar instruções de como é possível contribuir com o trabalho de inteligência das polícias e a melhoria de segurança, tanto na prevenção da violência como na identificação dos suspeitos.

Durante a reunião, o presidente da Abrasel, Rafael Campos Carvalho destacou que os bares e restaurantes sempre foram ambientes seguros. “Consideramos esta onda de criminalidade novidade. São fatos isolados, em locais e dias diferentes... É nossa prioridade tomar todas as medidas necessárias. Queremos erradicar os riscos de situações como estas voltarem a se repetir”.

Carvalho afirmou ainda que o governador Marconi Perillo está ciente do problema e disponível a colaborar. “Queremos policiamento ostensivo, precisamos que a PM seja mais bem estruturada, conte com efetivo com motocicletas, para melhorar a agilidade em locais com grande aglomeração de carros e pessoas. Estamos confiantes com a parceria e as iniciativas e vamos cooperar, conscientizando nossos colaboradores, solicitando ações do legislativo, do executivo e judiciário, cada um dentro de sua alçada”, completou.

O Comandante Geral da Polícia Militar de Goiás, Márcio Gonçalves de Queiroz, acompanhado de outros representantes da instituição, destacou que estão sendo construídas estratégias entre a PM, a Polícia Civil e a Abrasel, de forma que seja possível criar rotinas que possam dificultar e até impedir as ações dos bandidos. “Estamos direcionando as equipes do Choque, Giro, Rotam e Batalhão Escolar para um trabalho ostensivo nas regiões com maior concentração de bares e restaurantes”.

Representante da Polícia Civil na reunião, o delegado regional Sidney Costa Souza informou que os suspeitos, em um dos crimes, já foram identificados, e que dois deles estão presos. “Eles foram presos por outros motivos, e os demais estão com o mandado de prisão expedidos”, revelou, informando ainda que o delegado Germano César de Castro  foi destacado para atender as ocorrências ligadas ao setor de alimentação fora do lar.

Também estiveram presentes na reunião os vices-presidentes da Associação Comercial Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (ACIEG), Mihran Merzian e Euclides Barbosa Siqueira, representantes do Batalhão de Trânsito e de casas como Officina Cervejaria, Cateretê, Celson & Cia, Carne de Sol Caicó,  República da Saúde, Sapporo Japonese Food, Dali Bar e Taberna, entre  outras.

Prevenir ainda é o melhor remédio

Algumas medidas simples podem contribuir para evitar maiores males, em situações de insegurança ou violência. A Polícia Militar preparou uma série delas que pode ser seguida em diversas delas, dicas preciosas tantos os empresários como para os demais cidadãos.

“Bom seria se não fosse necessária a preocupação extremada com a segurança, mas diante da impossibilidade de conviver em uma sociedade sem violência, é preciso um pacto de apoio mútuo entre as pessoas de bem. Queremos mostrar que a sociedade organizada pode contribuir com o bem estar e a melhoria da qualidade de vida em nossa cidade”, destacou o presidente da Abrasel, Rafael Campos Carvalho.

Estar atento a pessoas estranhas (não clientes); avisar a PM, ao qualquer sinal de movimentação diferente no estabelecimento; ter sempre à mão o número da viatura que atende à região; checar antecedentes criminais de colaboradores; criar uma política de solidariedade e apoio mútuo com a vizinhança, taxistas, demais comerciantes, etc.; estão entre as dicas para os empresários.  Confira outras delas*:

1 - Evite manusear grandes quantidades de dinheiro na frente de outras pessoas;

2 - Sempre que a gaveta do caixa estiver cheia, retire as notas maiores e guarde-as em um local seguro;

3 - Só feche o caixa após o expediente, com as portas do estabelecimento trancadas, longe dos olhares de curiosos e até colaboradores;

4 – Quando for ao banco sacar grandes quantias ou realizar pagamentos vultuosos de mercadorias, solicitar a presença ou acompanhamento de uma viatura da PM;

Os números das VTRs de cada bairro estão disponíveis no site www.pm.go.gov.br  ou através do telefone “190”;

6 – Se houver câmeras de segurança em seu estabelecimento, posicione-as em locais que possibilitem a visualização do rosto do criminoso; isso facilitará o trabalho de investigação e a prisão do marginal;

7 - Jamais reaja a um assalto! “A VIDA É O SEU PATRIMÔNIO MAIS VALIOSO.”

 

ESTACIONAMENTO:

A rua é um local público. Por isso, a cobrança de valores ou a reserva de vagas para o estacionamento de veículos em áreas externas públicas somente pode ser feita com a devida autorização dos órgãos competentes, atendidos os critérios legais específicos.

No Brasil, a Lei Federal nº 6.242/75 e o Decreto nº 79/797/77, regulamentam o exercício da profissão de GUARDADOR DE VEÍCULOS, mais conhecido como “FLANELINHA”

Conforme o art.1º, § único do Decreto nº 79/797/77, só podem exercer a atividade de guardador de veículos, os profissionais que estiverem registrados na Delegacia Regional do Trabalho ou nos respectivos órgãos estaduais ou municipais autorizados mediante convênio.

 

É PROIBIDO:

-Impor o serviço de vigilância de veículos numa via pública;

-Exigir pagamento adiantado aos motoristas, como condição para o estacionamento;

-Estipular valores mínimos para a realização do serviço.

A ação de guardadores não cadastrados na DRT ou de qualquer um que exija o pagamento de valores para o estacionamento de veículos em vias públicas É ILEGAL;

Os autores dessa prática cometem a contravenção penal de exercício ilegal de profissão, podendo ainda serem indiciados pelos crimes de CONSTRANGIMENTO ILEGAL, AMEAÇA ou EXTORSÃO, conforme o caso (arts. 146,  147 e 158 do CPB).

Se você for vítima desse tipo de atitude, acione uma viatura da polícia militar mais próxima, através do telefone “190”.

Para que os guardadores irregulares sejam responsabilizados, a Lei Penal brasileira exige que a vítima/motorista acompanhe os policiais militares até a Delegacia de Polícia mais próxima, juntamente com uma testemunha qualificada, para registrar a ocorrência.

 

CUIDADOS COM OS VEÍCULOS:

Evite deixar seu veículo em locais escuros e pouco movimentados;

Certifique-se de que as portas e vidros do carro foram devidamente trancados;

Não deixe objetos de valor sobre o painel ou bancos do carro (celulares, bolsas, etc.);

Prefira estacionamentos regulares, e se possível, credenciados, ao invés de confiar seu veículo a flanelinhas e oportunistas

 

* Fonte: Polícia Militar do Estado de Goiás